OCA

Curso: Aproveitamento de Materiais Recicláveis

curso

Venha participar de mais um ciclo ecológico que se inicia na data de hoje.
Curso de aproveitamento de materiais recicláveis.

Faça parte dessa, bateria inicial com quatro módulos você também.
Grato.

Anúncios

Dia do Agente de Defesa Ambiental

chicomendes

A data de 06 de fevereiro é comemorada pela Organização Coletiva Ambiental, como uma data muito especial: Hoje celebramos o dia do/a Agente Ambiental.

E sendo impossível falar dessas pessoas que dedicam a sua vida a lutar pelo meio Ambiente, sem prestar homenagem a um grande exemplo de defensor do meio ambiente.

Um exemplo de pessoa que não tivemos a chance de conhecer.

Chico Mendes, neto de nordestinos foi alfabetizado e com isso, tornou-se capaz de fazer a mudança na forma de trabalhar e viver da terra.

Portador do premio Global 500 Chico é conhecido nacionalmente pelas suas aventuras heroicas e originais através dos “empates”, (forma de luta para impedir o desmatamento) é forma pacífica de resistência. No empate, a comunidade se organiza sob a liderança do sindicato, e, em mutirão, se dirige à área que será desmatada pelos pecuaristas. Eles se colocavam diante dos peões e jagunços, com suas famílias, (mulheres, crianças e velhos) e pediam para eles não desmatarem e se retirarem do local.                                                                                                                                         Creiamos que todos que estivessem vivendo nessa época teriam feito o mesmo pela terra e etc.

O Dia do Agente de Defesa Ambiental

Como o exemplo do grande ambientalista e lutador pela vida da Floresta Chico Mendes, temos hoje em nosso meio, mais que profissionais pessoas que dedicam arduamente em defesa da vida no planeta e de todos os seus recursos. O meio Ambiente é vivido no corpo e na alma destes.

Saudemos também aqueles e aquelas que morreram lutando por esta verdadeira religião chamada Meio Ambiente e pelas formas de vida que nele habitam.

Dorothy Mae Stang, conhecida como Irmã Dorothy (Dayton7 de junho de 1931 — Anapu 12 de fevereiro de 2005)

images

A Irmã Dorothy Stang foi assassinada a mando de fazendeiros, com seis tiros, um na cabeça e cinco ao redor do corpo, aos 73 anos de idade, no dia 12 de fevereiro de 2005, às sete horas e trinta minutos da manhã, em uma estrada de terra de difícil acesso, a 53 quilômetros da sede do município de Anapu, no Estado do ParáBrasil.

Uma de suas citações: Não vou fugir e nem abandonar a luta desses agricultores que estãodesprotegidos no meio da floresta. Eles têm o sagrado direito a uma vida melhornuma terra onde possam viver e produzir com dignidade sem devasta

Mataram irmã Dorothy (2009) http://www.youtube.com/watch?v=kfRdkwZ5xFk

Zé Maria do Tomé – Um lutador do Povo e da Vida

Um dos maiores defensores da luta contra o agronegócio da região do Vale do Jaguaribe, o camarada Zé Maria (do Tomé), reconhecido líder comunitário de Limoeiro do Norte, e destacou na chapada na luta por terras para os pequenos agricultores, contra a aplicação dos agrotóxicos através de aeronaves e a luta para acabar com as casas de taipa, foi covardemente assassinado, a caminho de sua casa, na Chapada do Apodi, no município de Limoeiro do Norte-CE.O brutal assassinato do companheiro Zé Maria em 21 de abril de 2010, reacendeu com força a discussão e a denúncia das graves sequelas sociais e ambientais causadas pelas empresas multinacionais de fruticultura na região.

Confira o cordel dedicado a Zé Maria do Tomé http://tributoaocordel.blogspot.com.br/2012/04/cordel-sobre-o-assassinato-de-ze-maria.html

ze_maria_canal

José Maria Filho – Assassinato continua impune, mas líder comunitário tornou-se um ícone de luta contra o abuso de agrotóxicos e a concentração fundiária no Ceará. Foto: MELQUÍADES JÚNIOR

São vidas como estas que foram ceifadas covardemente, de um povo que só queria paz, de uma gente que só queria vida. Que motivam milhares e milhares de pessoas a continuarem na luta por um mundo mais justo e vivo.

Parabéns a todos/as que são defensores, agentes, companheiros/as diários da vida do planeta e de toda a parcela de humanos e não humanos que nela vivem e sobrevivem.

O Meio Ambiente precisa de vocês e todos os dias pede Socorro!

Cordialmente Organização Coletiva Ambiental – OCA

link da música _ Quando os Anjos Choram, homenagem á Chico Mendes https://www.youtube.com/watch?v=PKJFfBpP-_c

DIA MUNDIAL DAS ZONAS ÚMIDAS

homoambiens53581_36624

02 de Fevereiro – DIA MUNDIAL DAS ZONAS ÚMIDAS

 

O Dia Mundial das Zonas úmidas é celebrado em 02 de fevereiro, e decorre da convenção Ramsar, assinada em 1971 que entrou em vigor desde 1975, visando promover a cooperação internacional e incentivar as ações nacionais no sentido de promover uma gestão racional e sustentável das zonas húmidas.

Zonas úmidas, também chamadas no Brasil de áreas úmidas são áreas de pântano, charco, Paul, sapal, turfa ou água, naturais ou artificiais, permanentes ou temporárias, que normalmente albergam uma grande biodiversidade, tanto em termos de plantas como de animais aquáticos, ou os que se alimentam daqueles. (Wikipédia enciclopédia livre).

Pantanal – O Brasil, juntamente com a Bolívia e o Paraguai, abriga a maior área úmida continental do planeta.  Onde o desenvolvimento de projetos de conservação tem sua importância ambiental reconhecida com dois títulos importantes, o de Patrimônio Nacional, pela Constituição brasileira, em 1998, e o de Reserva da Biosfera pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2000.

O Parque Nacional do Pantanal Matogrossense é considerado a maior área úmida do planeta. Abriga pelo menos 4.700 espécies entre incluindo plantas e animais vertebrados, sendo 3.500 espécies de plantas (árvores e vegetações aquáticas e terrestres), 325 peixes, 53 anfíbios, 98 répteis, 656 aves e 159 mamíferos. Em 1998, o bioma foi decretado Patrimônio Nacional, pela Constituição brasileira. Em 2000, tornou-se Reserva da Biosfera pela Organização das Nações Unidas (ONU).  (Wikipédia enciclopédia livre).                                                                                                                                           As áreas úmidas estão presentes em todos os tipos de ecossistemas e são importantes para a manutenção da diversidade biológica e para a regulação do clima.

Outro exemplo encontramos no amazonas onde encontra-s eo Rio Amazanoas o maior rio do mundo, em uma escala mundial ele fornece 20% da água doce. A bacia amazônica abriga a maior extenção de florestas tropical no planeta, um recurso que está sendo destruido em índices alarmantes.

Explorações, agricultura em grande escala, queima de lavoura e imigrantes predadores de nutrientes contidos nas árvores. O calmo remanso do rio é coberto por vegetação na cheia e oferece um valioso habitat para muitos animais                                                                                                                                                                                                                                                                   O principal objectivo do Dia Mundial das Zonas Húmidas 2013 é aumentar a conscientização das pessoas sobre a interdependência entre água e zonas húmidas, para destacar formas de garantir a distribuição equitativa da água e entender que sem zonas úmidas não haverá água. (http://sosriosdobrasil.blogspot.com.br/2013/01/dia-mundial-das-zonas-umidas-02-de.html)

Para nós da Organização Coletiva Ambiental consideramos necessário fazermos uma reflexão sobre a importância de protegermos essas áreas úmidas devido ao papel que estas desempenham na manutenção da biodiversidade e da vida no nosso planeta.

“PLANETA AZUL E BRANCO”

Do espaço, a terra parece azul e branca

Essas áreas são as formas visiveis da água em mares, oceanos e nuvens.

A água é o maior componente da atmosfera determinante do clima terrestre.

Justiça determina nova suspensão de hidrelétricas no Pantanal

Liminar proíbe a concessão de novas licenças ambientais e de instalação até que seja realizada a avaliação ambiental estratégica

18/01/2013

 

MPF/MS

Os Ministérios Públicos Federal (MPF) e Estadual de Mato Grosso do Sul (MP/MS) conseguiram nova ordem de paralisação dos projetos de hidrelétricas no pantanal de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, após a decisão anterior da Justiça Federal de Coxim – de agosto de 2012 -, ser cassada e o processo transferido para Campo Grande.

A Justiça acatou os argumentos do Ministério Público e proibiu liminarmente a concessão de novas licenças ambientais prévias e de instalação para hidrelétricas na Bacia do Alto Paraguai. A proibição vale até que seja realizada a avaliação ambiental estratégica, que considera o impacto de todos os empreendimentos hidrelétricos no ecossistema do Pantanal. O estudo deve ter como base bibliografia especializada e contar com a participação de setores científicos e da sociedade civil organizada.

Baseada em pesquisas científicas, a ação buscava a realização de uma Avaliação Ambiental Estratégica em toda a Bacia do Alto Paraguai para dimensionar o impacto e os riscos das hidrelétricas na planície pantaneira. Segundo pesquisadores, se todos os empreendimentos fossem instalados, o ciclo das cheias no Pantanal seria alterado, provocando danos em todo o bioma.

O Pantanal é considerado Patrimônio da Humanidade e Reserva da Biosfera pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura – Unesco.

Foi fixada multa de R$ 50 mil por licença expedida. A decisão impacta diretamente 87 empreendimentos que estão em fase de estudos ou projeto. 29 barragens em operação e 10 em construção tiveram confirmada a licença de operação.

As licenças ambientais são concedidas individualmente a cada empreendimento hidrelétrico. Para o Ministério Público, em um bioma complexo e sensível como o Pantanal, não basta somar os impactos individuais, é preciso analisá-los em conjunto, considerando toda a Bacia do Alto Paraguai.

A decisão cita que “os responsáveis por (hidrelétrica) autorizada a funcionar na Bacia do Alto Paraguai não levaram em conta a afetação, seja ela positiva, negativa ou neutra, da sua operação em toda a bacia, que abrange território nacional, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, e internacional, Paraguai e Bolívia”.

 Imagem

Decisão anterior favorável

Em agosto de 2012, os Ministérios Públicos Federal (MPF) e Estadual (MP/MS) ingressaram com ação civil pública na 1ª Vara Federal de Coxim(MS) para suspender a instalação de 126 empreendimentos hidrelétricos no entorno do Pantanal.

A ação foi movida contra a União Federal, Estados de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto do Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul (Imasul).

A Justiça Federal de Coxim concedeu a liminar e determinou a paralisação de todos os 126 empreendimentos hidrelétricos em operação ou planejamento para o Pantanal, tanto em MT quanto em MS. Os réus ajuizaram recurso no Tribunal Regional Federal (TRF-3), que cassou a liminar e determinou a transferência do processo para a Justiça Federal de Campo Grande

Shell, é eleita a pior Empresa do MUNDO

Com mais de 41 mil votos, a petroleira que queria explorar o Ártico foi eleita por voto popular como a vencedora do Public Eye Award 2013.

Após inúmeras tentativas de exploração de petróleo na frágil região do Ártico e mais de dois milhões e 400 mil pessoasem todo o mundo se pronunciando contra suas investidas, a Shell foi a empresa escolhida este ano para receber o Public Eye Award. Tradicionalmente anunciado no Fórum Econômico Mundial que acontece em Davos, na Suíça, entre os dias 23 e 27 de janeiro, o prêmio será entregue nesta quinta-feira pelo Greenpeace Suíça e pela Declaração de Berna.

A petroleira recebeu nada menos do que 41.800 votos online. Já pelo lado do júri, o banco norte-americano Goldman Sachs foi o vencedor. Segundo os organizadores, as duas empresas escolhidas servem como exemplos de empresas cujos crimes socioambientais mostram para a sociedade o lado negativo do progresso puramente orientado para o lucro.

A indicação da Shell se deu pela empresa estar constantemente envolvida em projetos de produção particularmente controversos, arriscados e quase sempre sujos de óleo. A empresa tem manchado sua repitação de negro quando se coloca à frente da exploração e produção de combustíveis fósseis num dos ecossistemas mais vulneráveis do planeta.

Cada projeto de petróleo no mar Ártico significa novas toneladas de emissões de CO2 para a atmosfera. Reservas de petróleo do Ártico são suficientes para apenas três anos, mas a ganância de grandes corporações como a Shell insistem em tirar até a última gota do solo.

Para isso, ela está colocando em risco um dos últimos paraísos naturais da Terra, colocando em perigo quatro milhões de pessoas que vivem na região, além de ameaçar a fauna. Ainda sem nem começar a trabalhar na perfuração dos poços, a Shell já passou por uma série de acidentes alarmante na região nos últimos meses.

As medidas de segurança da Shell não são confiáveis. Especialistas garantem que uma catástrofe poderia ocorrer a qualquer momento e seria quase impossível controlar devido às condições delicadas do Ártico.

Kumi Naidoo, diretor-executivo do Greenpeace International, lembrou que a Shell já investiu US$ 4,5 bilhões em um plano “sem sentido e altamente arriscado, que só produz problemas”. “O Public Eye Award mostra que o público está de olho na Shell e que sua teimosia vai continuar a ser objeto de sanções por parte da opinião pública”, frisou.

Assine e divulgue você também em www.salveoartico.org.br

Assine a petição

 

 

fonte: http://www.greenpeace.org

Imagem

 

Tribo do Equador pede ajuda: Salvem nossas Terras

 

A tribo Kichwa de Sani Isla no Equador pediu nossa ajuda para impedir o governo de transformar suas florestas em um campo de exploração de petróleo. Um enorme escândalo na mídia global exigindo do Presidente Correa medidas que estejam de acordo com seus princípios ambientalistas pode persuadí-lo a dar um passo atrás e impedir a corrida do petróleo da Amazônia. Assine a petição agora:

Assine a Petição

Uma mega-empresa de petróleo está tentando transformar a mais primitiva floresta tropical no coração do Equador em um campo de petróleo. A tribo Kichwa de Sani Isla está resistindo com coragem e acabaram de nos pedir ajuda para salvar suas terras.

A comunidade assinou um compromisso de nunca vender suas terras, onde onças vagueiam e um único hectare pode conter mais diversidade animal do que em toda a América do Norte! Mas o governo do Equador está tentando comprá-los paraoferecer 4 milhões de hectares da Amazônia para grandes petrolíferas. O presidente Correa está numa batalha eleitoral neste momento e tem uma reputação de respeito ao meio ambiente e aos povos indígenas. Se pudermos fazer esse assunto vazar globalmente e tornar a proteção da Amazônia uma questão eleitoral, poderemos impedir essa corrida do petróleo.

Até agora a comunidade corajosamente se manteve firme, mas os petroleiros podem chegar com seus equipamentos de perfuração a qualquer momento. Os Kichwa estão apelando por nossa ajuda para salvar a Amazônia. Assine esta petição agora e compartilhe amplamente. Se 1 milhão de pessoas assinarem, vamos criar uma tempestade de mídia que forçará Correa a dar um passo atrás:

http://www.avaaz.org/po/oil_in_the_amazon_global/?bbPRidb&v=21330

Depois da Texaco e outras empresas de petróleo terem poluído as águas do Equador e devastado ecossistemas preciosos de maneira irreversível, Correa conduziu o Equador a ser o primeiro país do mundo a reconhecer os direitos da “Mãe Terra” em sua Constituição. Ele anunciou que o Equador não estava à venda, e no Parque Nacional Yasuni, promoveu uma iniciativa inovadora, onde outros governos pagam ao Equador para manter o petróleo no solo protegendo a floresta ao invés de destruí-la. Mas agora ele está prestes a se vender.

De modo chocante, a terra Kichwa está, em parte, no Parque Nacional Yasuni. Mas, ainda mais chocante é o grande plano de Correa: dentro de alguns dias funcionários do governo começarão uma turnê mundial para oferecer aos investidores estrangeiros o direito de perfurar em uma área de 4 milhões de hectares de floresta (maior que a Holanda!). O Equador, como qualquer país, pode argumentar que tem o direito de lucrar com seus recursos naturais, mas a própria Constituição diz que deve-se respeitar os direitos indígenas e suas incríveis florestas, que rendem milhões de dólares em turismo a cada ano.

Neste momento, Correa está em uma dura batalha para ganhar seu segundo mandato como presidente. É o momento perfeito para fazê-lo honrar suas promessas ambientais e fazer essa Constituição verde se tornar realidade. Assine agora para apoiar o povo Kichwa e salvar sua floresta:

http://www.avaaz.org/po/oil_in_the_amazon_global/?bbPRidb&v=21330

Nossa comunidade tem lutado ano após ano para proteger a Amazônia no Brasil e na Bolívia, e obteve muitas vitórias apoiando as comunidades indígenas. Agora é a vez do Equador: vamos responder a este apelo urgente e salvar a floresta.

Mais informações:

Equador revive conflito sobre exploração de petróleo na Amazônia (BBC)
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/12/121209_petroleo_amazonia_equador_rw.shtml

Equador licitará novas áreas petrolíferas na Amazônia (Exame)
http://exame.abril.com.br/economia/noticias/equador-licitara-novas-areas-petroliferas-na-amazonia

Chevron é multada em US$ 19 bilhões no Equador (Veja)
http://veja.abril.com.br/noticia/economia/chevron-e-multada-em-us-19-bilhoes-no-equador

Tribo equatoriana recebe indulto de intrusão de óleo (The Guardian) (em inglês)
http://www.guardian.co.uk/environment/2013/jan/17/indigenous-ecuadorian-tribe-oil-intrusion

Equador adota direitos da natureza em Constituição (Rights of Nature) (em inglês)
http://therightsofnature.org/ecuador-rights/